Um dia desses eu estava dando uma volta no shopping com um amigo e paramos em uma loja da Samsung pra dar uma fuçada. Tava tranquilo até um vendedor começar a falar um monte de merda pra mim e eu quase arranquei meu braço fora só pra ter o que jogar na cabeça dele.

Uma das maiores merdas que ele disse foi que o Galaxy Note III tinha especificações melhores do que as de um notebook. Ok! Vamos parar um pouco e pensar algumas coisas:

  • Por que alguém vai querer comparar um smartphone com um notebook? São coisas completamente diferentes pra propósitos diferentes!

Tá certo que podemos substituir o notebook pelo smartphone para várias tarefas, mas não é porque o smartphone é melhor do que o notebook, é simplesmente porque é mais cômodo fazer com o smartphone. Um exemplo simples é olhar emails.

  • 3 GB de memória RAM e 4 processadores não significam nada.

Não importa a quantidade de memória se ela é lenta, o mesmo vale para a quantidade de processadores. Não vou entrar em detalhes, mas isso é uma diarréia mental. Eu não vou comprar um smartphone porque ele é mais rápido do que um notebook ou porque ele tem X ou Y de especificações, eu vou comprar porque ele pode significar alguma coisa pra mim.

Isso é fato, a Apple sabe muito bem como vender seus produtos e a Samsung já aprendeu também. Não adianta focar em especificações se elas não agregam nada pro usuário final. Minha esposa tem um modesto Nexus S com tantas funcionalidades quanto o seu, mais poderoso, Note II (e ela manda muito bem usando os dois). O fato de o celular conseguir dar uma boa experiência de uso ao seu dono é o que faz valer a compra. Isso é tão óbvio de se notar hoje que a própria Samsung parou de focar nas especificações dos seus smartphones e deu espaço para o que o smartphone pode fazer por você. Isso é uma tremenda diferença!

É claro que as especificações significam alguma coisa, com mais memória podemos ter mais aplicativos rodando em segundo plano e a responsividade do aparelho aumenta, já que o sistema não precisa fechar os aplicativos enquanto alternamos entre eles. A questão é que o vendedor me encheu o saco dizendo que o Galaxy Note III que ele queria me vender era muito melhor do que o meu Galaxy Note II só por causa da memória. Tirando o fato de que a primeira coisa que eu faço em um smartphone novo é rootear e trocar a merda da ROM da Samsung, não vejo necessidade pra dar dez garrafas de um bom puro malte em uma coisa que não vai me agregar nada.

Claro que existe um motivo de eu ter um Note II e o motivo é simples: ele me possibilitou ter toda a minha confusão mental no meu bolso. Eu sempre gostei de fazer anotações e sempre levava comigo uma caneta e uns bloquinhos de papel. Agora eu juntei tudo em um aparelho que me permite até desenhar os meus tão queridos mapas mentais. Isso sim é agregar alguma coisa.

É óbvio que eu não deixaria de escrever esse post sem zoar demais da cara do vendedor. A maior merda que ele disse (e que deixou o futum pela loja inteira) foi que o Note III, tendo 3 GB de RAM, deixa você abrir vários jogos ao mesmo tempo. Quando eu perguntei pra ele em qual situação eu iria jogar mais de um jogo ao mesmo tempo a coisa ficou feia. Foi uma pena ter entrado um cara na loja e esse vendedor ter ido prontamente atender o cara...

Acho que nem água mineral no deserto esse cara consegue vender.